História

gdfffgdfCronologia histórica
1937: é fundado o Grupo Desportivo da CUF a 27 de Janeiro.

1939: Joaquim Fernandes, ciclista do GD CUF, vence a Volta a Portugal em Bicicleta.

1941/42: a equipa de futebol ascende pela primeira vez à principal divisão do futebol português.

1942/43: a equipa sénior de futebol não consegue evitar a despromoção em ano de estreia, classificando-se no 9º lugar, num campeonato com dez clubes. Apesar disso, destaca-se a vitória forasteira por 4-3 frente ao FC Porto.
Morre Alfredo da Silva, o industrial Fundador da Companhia União Fabril (CUF), que deu o nome ao clube.

1953/54: campeões Nacionais da 2ª Divisão em 1953/54 e volta a ganhar o direito a pisar o patamar mais alto do futebol português. Eram elementos da equipa, entre outros, Barriga, Vasques, Luís, Sérgio, Aureliano, André, Carreira (cap.), Orlando, Matos, Vale, Velhinho. O treinador era João Mário. O clube disputaria a 1ª Divisão ininterruptamente nos próximos 22 anos.
A equipa júnior de futebol é vice-campeã nacional da 1.ª Divisão, perdendo na final e após um terceiro jogo, frente à Académica de Coimbra por 2-0. O encontro decisivo foi realizado no Estádio da Tapadinha. Nos dois jogos anteriores, tinham-se registado outros tantos empates (2-2; 1-1).

1964/65: uma época de ouro para o clube. A principal equipa de futebol do clube alcança um brilhante 3º lugar no Campeonato Nacional da 1ª Divisão, numa prova disputada por 14 equipas. O GD CUF apurava-se, assim e pela primeira vez, para a Taça dos Clubes de Cidades com Feiras, como era designada a actual Taça UEFA.
Três jogadores do clube Campeões da Europa por Portugal em 1963 (José António, Leonel Fernandes e Víctor Domingos). No mesmo ano, a equipa sénior de Hóquei em Patins é campeã nacional da modalidade. Era Presidente do clube o Engº Mário Pimenta. A conquista do Campeonato Nacional por parte do GD CUF não foi surpresa.

1965/66: a época começa da melhor forma, com a inauguração do Estádio Alfredo da Silva, no mês de Junho. O clube abandonava o saudoso Campo de Santa Bárbara, do qual ainda hoje existe uma bancada e passava a dispor de um dos melhores palcos para ver futebol no país, estatuto de que mesmo hoje pode continuar a orgulhar-se. A estreia trouxe ao Alfredo da Silva o SL Benfica, num jogo que terminou empatado a um golo. O Estádio teve desde o início a configuração que mantém e tem capacidade para cerca de 22 000 espectadores sentados.
A 1 de Dezembro de 1965, o clube consegue um dos maiores feitos do seu historial. Em jogo a contar para a primeira mão da 2ª ronda da Taça dos Clubes de Cidades com Feiras (isento na eliminatória anterior), o GD CUF recebeu, num Estádio Alfredo da Silva repleto, o já então poderoso AC Milan, que bateu por 2-0, com golos de Fernando Oliveira (61′) e Abalroado (89′, g.p.). Os onzes: GD CUF – Víctor Manuel, Bambo, Durand, Medeiros e Abalroado (cap.), Mário João, Espírito, Madeira, Vasconcelos, Fernando e Uria; AC Milan – Balzarini, Schenellinger, Maldini (cap.), Santi, Trebbi, Maddé, Maldera, Benigni, Sormani, Angelillo e Amaildo. O GD CUF acabaria por ser eliminado após terceiro jogo (2º em Milão) e por 1-0.
A equipa de Hóquei em Patins estreou-se na Taça dos Clubes Campeões Europeus frente aos catalães do Réus. O GD CUF foi afastado da competição com dupla derrota (1-4; 0-3)

1971: é inaugurado o Pavilhão do GD CUF, inicialmente designado como “Pavilhão dos Trabalhadores”.

1972: Víctor Domingos, guarda-redes de Hóquei em Patins do GD CUF e da Selecção Nacional de Portugal, é considerado o melhor do mundo na posição. Por essa altura, Víctor Domingos tinha já conquistado, enquanto atleta do clube, um Campeonato Mundial (1968) e quatro Campeonatos da Europa (1963/65/67/73). Também Leonel Fernandes e José António, igualmente jogadores do GD CUF, haviam sido já Campeões do Mundo por Portugal em 1962.

1975/76: após 22 anos consecutivos na 1ª Divisão Nacional de Futebol, o GD CUF foi despromovido, ao classificar-se em 16º e último lugar.

1991/92: depois de largas dezenas de anos a disputar os vários campeonatos nacionais de futebol, a equipa sénior desceu à 1ª Divisão Distrital da Associação de Futebol de Setúbal, despromoção confirmada na última jornada, ao perder por 4-2 em Tavira, frente à formação local.

1999/2000: a equipa sénior de futebol vence o Campeonato Distrital da Associação de Futebol de Setúbal, regressando assim às provas nacionais. No final da época seguinte, contudo, o futebol do clube voltaria a baixar de divisão. Seria a única conquista do futebol sénior enquanto Grupo Desportivo da Quimigal.

2000: o clube deixa de se chamar Grupo Desportivo da Quimigal. A nova designação é Grupo Desportivo Fabril do Barreiro.

2002/2003: a equipa sénior de futebol vence o Campeonato Distrital da Associação de Futebol de Setúbal, regressando assim às provas nacionais. Infelizmente, repetindo o que se verificara três anos antes, no final da época seguinte, o futebol do clube voltaria a baixar de divisão.

2006/2007: a equipa sénior de futebol vence o Campeonato Distrital da Associação de Futebol de Setúbal, regressando assim às provas nacionais (Campeonato Nacional da 3ª Divisão Série F). Também a equipa Sénior de futsal vence o Campeonato Distrital de Setúbal, subindo à 3ª divisão Nacional.

2008/2009: a equipa de futsal sagrou-se campeã Nacional da 3ª Divisão Série D.

2010/2011: a equipa de futsal voltou, como duas épocas antes, a sagrar-se campeã Nacional da 3ª Divisão (da Série D e de Séries)

2011/2012: ano histórico para o Grupo Desportivo Fabril. A equipa de futsal sagrou-se campeã Nacional da 2ª Divisão da Série B, subindo consequentemente pela 1ª vez na sua história ao nacional da 1ª divisão de futsal.

2012/2013: a equipa sénior de futebol falhou por um golo a subida ao Campeonato Nacional de Séniores (que teve inicio na época 2013/2014). Com o fim da 3ª divisão o regresso à 1ª divisão distrital da AF Setúbal foi inevitável.
Já a equipa de futsal, na época de estreia na primeira divisão, atingiu o 9º lugar (1º lugar abaixo dos ‘playoffs’ de apuramento de campeão nacional). Na Taça de Portugal atingiu a ‘final four’, sendo eliminado pelo Sp. Braga nas meias-finais. Na fase de manutenção a equipa acabou por consentir o regresso à 2ª divisão nacional.
A equipa de Juniores B de futebol sagrou-se pelo segundo ano consecutivo campeão distrital (não subiu em 2011/2012 por uma decisão da AF Setúbal) ascendendo à 1ª divisão nacional.

2013/2014: a equipa sénior de futebol, treinada por Manuel Correia, ascende ao Campeonato Nacional de Seniores após um campeonato brilhante (30 jogos – 24 vitórias, 3 empates e 3 derrotas) tendo vencido os 15 jogos realizados no estádio Alfredo da Silva somando um total de 75 pontos.

2014/2015: o ano de estreia da equipa sénior de futebol no Campeonato Nacional de Seniores não correu bem e a equipa fabril voltou aos campeonatos distritais.
A equipa de futsal esteve muito perto do regresso à 1ª divisão. Dependendo apenas de si para subir, na última jornada foi derrotada (5-4) no pavilhão do Amarense. A equipa fabril esteve a vencer até a 1:20 do final.

2015/2016: a equipa sénior de futebol, treinada por Manuel Correira (2º título no Clube), ascende ao agora denominado Campeonato de Portugal Prio (30 jogos – 22 vitórias, 5 empates e 3 derrotas. Total de 71 pontos).