GD Fabril ‘travado’ na estreia do campeonato

O GD Fabril perdeu (1-2) frente ao Grandolense, em jogo da 2ª jornada do campeonato distrital da AFS. Um jogo que teve de tudo e onde o protagonista maior acabou por não ser nenhum dos jogadores. O futebol merecia melhor…
A equipa do fabril não esteve bem no primeiro tempo, verdade seja dita. O forte vento dificultava a forma de jogar da equipa orientada por Jorge Prazeres e o tempo foi passando sem oportunidades de golo junto das balizas. No entanto o Grandolense, já nos descontos, acabaria por chegar à vantagem na conversão de uma grande penalidade. A bola terá, segundo André Botelho, batido no braço de Rocha que encontrava-se claramente junto ao corpo. O remate foi também à ‘queima’. Decisão ridícula e penalizadora para a equipa fabril.
No segundo tempo Jorge Prazeres lançou Iguaran e a equipa fabril entrou bem mais perigosa. Teve duas excelentes oportunidades para marcar, frente a um adversário que limitava-se a utilizar todas as formas de parar o encontro. Como no futebol não há justiça, acabaram por sair brindados os visitantes, aos 53 minutos, aproveitando um erro grave da defesa fabril para fazer o 0-2.
Faltava muito tempo para jogar mas a equipa fabril acusou o golo. Os visitantes continuavam sem querer jogar, procurando irritar a equipa fabril. Jogadores a pedir assistência foi uma constante…
Aos 67 minutos, só o senhor André Botelho poderá explicar porque anulou um golo à equipa fabril. O guarda-redes do Grandolense salta com um defesa e Rocha aproveita para colocar a bola no fundo das redes. O árbitro anulou, vai-se lá saber o motivo…
Pouco depois o técnico Jorge Prazeres acabou por ser expulso do banco e minutos depois o árbitro expulsa, por acumulação de amarelos, o avançado Bruninho (79′). Era a desorientação total…
Com 10 elementos a equipa fabril nunca desistiu e acabou mesmo por chegar ao golo, aos 84 minutos. Iguaran deu esperanças à equipa fabril.
Mas até final pouco ou nada se jogou. Verdade seja dita que a equipa fabril nos descontos ainda teve duas soberanas oportunidades para marcar, mas não era o nosso dia.
O árbitro expulsou, nos descontos, ainda dois elementos da equipa adversária por protestos. Pouco depois foi o apito final. Um alívio para quem nunca quis jogar futebol e para outros que tiveram uma tarde muito infeliz.
Na próxima quinta-feira a equipa fabril desloca-se a Santiago, para defrontar o União local em jogo em atraso da 1ª jornada.

.